IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil

IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil

Início Loja Virtual TV Ibracon Fale Conosco

Notícias > Ibracon na Mídia

Sexta-feira, 22 de Junho de 2018

IASB/Gomes: Para investidores, nova norma para contratos de seguros aprimora transparência

Por Cynthia Decloedt

Tamanho do Texto: a A

Investidores globais têm considerado positivas as mudanças previstas nas demonstrações financeiras da indústria de seguros decorrentes da implementação da norma contábil IFRS 17, que trata dos contratos desse segmento, afirmou Amaro Gomes, membro do International Accouting Standard Board (IASB), organização internacional responsável por atualizar e publicar as normas de contabilidade IFRS.
 
"Os investidores consideram que a norma aprimora a transparência em um segmento forte em muitas jurisdições, principalmente em relação ao desempenho e à abertura de informação", comentou durante apresentação na 8ª Conferência Brasileira de Contabilidade e Auditoria Independente realizada pelo Ibracon, em São Paulo. De acordo com ele, em algumas jurisdições há contratos de 30 anos, emitidos em momento econômico distinto, e que são apresentados com formas diversas de desempenho, algumas vezes tratados puramente por valores históricos, em outras trazendo a valor presente e, numa terceira via, usando as duas referências.
 
Ele ressaltou, entretanto, que existe preocupação quanto ao julgamento profissional previsto, ponderando que as normas são baseadas em princípios que só funcionam se estiverem relacionados ao julgamento profissional. "Os investidores se manifestam e se preocupam com isso, mas é inevitável nas normas internacionais", destacou.
 
A norma entra em vigor em 2021 e envolverá uma indústria de 450 seguradoras mundialmente cotadas em bolsa e que representam US$ 13 trilhões em ativos totais. Amaro disse que as impressões foram colhidas depois de 70 reuniões realizadas com mais de 370 investidores e com agência de classificação de risco.
 
Do ponto de vista dos preparadores das demonstrações, Amaro afirmou que as críticas têm vindo dos custos de preparação, o que é compreensível, segundo ele, dado o desafio adicional da introdução de novas tecnologias. Por outro lado, Amaro lembrou haver mitigadores que são identificados pelos preparadores na norma, os quais, de certa forma, podem compensar os custos envolvidos. "A integração de sistemas internos é um dos principais fatores mitigadores na minha opinião", destacou.
 
A norma IFRS17 foi editada em maio pelo IASB e é a primeira voltada para contratos de seguros, visando dar melhor entendimento sobre aspectos como exposição ao risco, rentabilidade e posição financeira. A norma substitui o IFRS 4, apresentado em 2004 como norma interina, a qual permitia a realização da contabilização de contratos de seguro usando normas contábeis nacionais, dificultando a comparação e análise das informações. 
 
Fonte: Broadcast Estadão - 12/06/2018

Próximos cursos

Fechar [X]

Indicar a um amigo!

Fechar [X]

Enviar a um amigo!