IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil

IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil

Início Loja Virtual TV Ibracon Fale Conosco

GT Firmas de Auditoria de Pequeno e Médio Portes (FAPMP)

O GT Firmas de Auditoria de Pequeno e Médio Portes (FAPMP), mantido pelo Ibracon – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil, tem por objetivo debater e propor soluções para problemas técnicos, profissionais, administrativos, de negócio e outros que dizem respeito às pequenas e médias firmas de auditoria.

Participam desse GT, sócios de firmas de auditoria associadas ao Ibracon.  O membro deve ser, preferencialmente, um dos sócios da firma, pois deve reunir mais experiência e poder de decisão que outros participantes da empresa. Uma vez aceito, o membro assume o compromisso de ser efetivo nas necessidades do GT, estando disponível para as atividades.

O pretendente a membro deve solicitar participação à Diretoria Nacional, por meio do superintendente geral ou do coordenador do GT. Se aprovado o pleito, há a incorporação do membro. O mandato dos membros do GT Pequenas e Médias Firmas de Auditoria é de três anos, coincidente com os das diretorias Nacional e Regionais.

Os temas discutidos nesse GT, em geral, são elencados, quase sempre, a partir da visão dos próprios membros das necessidades da profissão e do mercado, seja individualmente, seja em debates nas reuniões. Além disso, a discussão de assuntos técnicos pode se originar de novas normas editadas por entidades reguladoras ou profissionais.

Temas que requeiram pesquisa e a preparação de um documento para discussão são atribuídos a um ou mais relatores que preparam esse documento e submetem antecipadamente aos demais membros do GT. Posteriormente, o tema é discutido nas reuniões e finalizado o documento.

O produto das discussões poderá ser a minuta de um pronunciamento técnico do Ibracon (Interpretação Técnica, Orientação, etc.), ou minuta de correspondência para determinada entidade reguladora ou profissional pleiteando algo ou oferecendo sugestões. Como este é um GT criado pela Diretoria Nacional, a minuta desses documentos é remetida para essa diretoria para as providências necessárias, quais sejam: submissão do documento à análise da Comissão Nacional de Normas Técnicas; discussão e aprovação ou rejeição no âmbito da diretoria;  discussão verbal com a entidade reguladora ou profissional, etc.

Algumas vezes a demanda é por treinamento. Se esse for o caso, o coordenador do GT Pequenas e Médias Firmas de Auditoria leva o tema para discussão com a Diretoria Nacional ou com algumas das Seções Regionais.

 

Fechar [X]

Indicar a um amigo!