IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil

IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil IBRACON - Instituto dos auditores independentes do Brasil

Informativos e Afins > Artigos

Segunda-feira, 10 de Outubro de 2016

Novo relatório do auditor, transparência e compromisso com a sociedade

Por Idésio Coelho

Tamanho do Texto: a A



Em resposta à crescente demanda global de investidores, acionistas, gestores de empresas, mercado e usuários das informações financeiras em geral, por um relatório de auditoria mais informativo e que contemplasse informações relativas ao processo da auditoria, o International Auditing and Assurance Standards Board – IAASB desenvolveu um novo modelo de Relatório do Auditor mais transparente e acessível, que passará a ser adotado no Brasil, por meio de normatização emitida pelo Conselho Federal de Contabilidade, nas auditorias de demonstrações contábeis anuais de 2016, cujos relatórios começam a ser emitidos já em 2017.

A reordenação do relatório do auditor e a descrição aprimorada das responsabilidades do auditor e da administração permitirão melhor compreensibilidade por parte dos usuários, dando destaque para a opinião, que passa a ser apresentada logo no início, e a seção de responsabilidades, que passa a contemplar as principais características de uma auditoria e também a responsabilidade da administração em relação a continuidade operacional da entidade.

Para companhias listadas em bolsa de valores, o relatório contemplará uma seção específica denominada Principais Assuntos de Auditoria. Neste espaço, o auditor destacará os assuntos que, no seu julgamento, tenham sido considerados os mais relevantes durante a execução do trabalho de auditoria. A seção não tem o objetivo de sumarizar problemas ou deficiências nos processos ou controles internos da entidade auditada, mas sim enfatizar as áreas da auditoria que mereceram maior atenção do auditor durante a execução de seu trabalho. Aumenta-se, assim, a transparência sobre o resultado da auditoria.

Outra mudança é o aprimoramento do relatório no que se refere a continuidade operacional, ficando claro que a responsabilidade pela avaliação da capacidade da companhia continuar operando é de sua administração.

Algumas entidades divulgam informações suplementares que acompanham as demonstrações contábeis e, nesses casos, o auditor deve reportar sua responsabilidade em relação a essas informações em seção específica que descreve o alcance de seu trabalho sobre tais informações.

Diante desses avanços, o Novo Relatório suscitará comunicação mais constante e eficiente entre o auditor, administração e os órgãos de governança corporativa das companhias durante a realização dos trabalhos, e sobre o processo de auditoria. As mudanças deverão enriquecer a discussão entre auditor e auditado sobre os assuntos mais críticos das demonstrações contábeis, assim como do processo de auditoria, aumentando o entendimento dos usuários sobre as demonstrações contábeis auditadas.

O Novo Relatório está alinhado com as normas internacionais e brasileiras de auditoria e mantém a profissão em linha com o cenário internacional atual. A experiência prática em países que adotaram normas similares às que serão adotadas neste ano no Brasil tem sido muito positiva. O esforço para que esse projeto se concretizasse incluiu anos de pesquisa e discussão, sempre objetivando atender ao interesse público.

Temos grandes expectativas em relação a implementação do Novo Relatório do Auditor aqui no Brasil, uma vez que busca atender um anseio de usuários das demonstrações contábeis e da sociedade como um todo por um ambiente de negócios com mais conformidade, objetividade e transparência.

*Idésio Coelho é o presidente do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon).
Fechar [X]

Indicar a um amigo!

Fechar [X]

Enviar a um amigo!